quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O regresso ao trabalho e mais uma consulta

Ainda não me habituei à ideia de que terei de me ausentar de casa de 2ª a 5ª à noite e ainda ter 3 dias de aulas durante o dia com o 7º ano, um ano que detesto leccionar. Devo confessar que me custa muito sair à noite para trabalhar, por vários motivos: por ser a altura do dia em que devíamos estar juntos, por me pôr a fazer 500 coisas durante o dia e quando devia estar a descansar tenho de sair, por ver todos os carros do prédio a chegar e eu a ter de partir, por implicar que o meu dia tenha mais horas, por estar sempre stressada com a hora de sair, etc. Enfim, são múltiplas as causas que me levarão certamente bastante tempo a conformar-me com a situação. É evidente que dar nocturno também tem vantagens: não ter de lidar com a indisciplina, ter alunos mais motivados, não haver lugar para grande alarido, e o silêncio, tão bom ter silêncio. Daqui a nada já me habituo, mas avizinha-se um ano pesado.
Estou a gostar muito da escola, dos colegas, dos alunos. Quando vamos trabalhar para um local no qual nos sentimos bem já é uma excelente notícia. É, porém, sempre esquisito começarmos de novo: não conhecemos as pessoas, somos uma espécie de "outsiders", mas este ano tenho a vantagem de haver muito gente nova na escola e, portanto, conto com a solidariedade do "colectivo".
As aulas à noite começaram na semana passada, mas o diurno só começa amanhã e aí é que vou ver como serão verdadeiramente os meus dias.
Ontem também foi dia de consulta dos 14 meses do Tomás. Está óptimo, como eu já esperava. Não houve nada de especial, à excepção da vacina da varicela (mais um monte de euros) que o pediatra aconselhou que tomasse e um medicamento que reforça o sistema imunitário contra a gripe. Nem sabia que tal existia! Claro que vamos dar tudo, desde que seja para o proteger alinhamos em todas as estratégias! Ainda falámos do facto dele suar imenso dos pés, o que provoca um mau odor, apesar de só usar calçado de pele da Geox com sistema respira. Já tentamos limpar o interior com algodão embebido em álcool, mas não tem resultado. O pedi disse que era normal e aconselhou borrifar o interior do calçado com um produto à base de uma substância que agora não sei indicar o nome (o papá fixou). E aos 14 meses (que só faz amanhã):
- Medes 83 cm (percentil 95);
- Pesas 11,800 kg (percentil 75);
- Completaste a dentição para esta etapa (20 dentes);
- Danças;
- Cantarolas;
- Riscas;
- Folheias;
- E continuas a ser fiel à bola (o brinquedo de eleição), à música e aos legos;
- Palavras novas: bola, anda cá, já está;
- Fazes "a galinha põe o ovo";
- Gostas de dar abraços;
- Já levas o talher à boca pela tua própria mão;
- Arrumas e desarrumas os teus brinquedos;
- Continuas curioso, aventureiro e espertalhão.
É cada vez mais um menino e cadavez menos um bebé.
Este mês gostávamos que iniciasse a natação, mas está difícil arranjar horário. Por cá, as aulas são todas ao sábado em todo o lado (e há muita oferta!) e até agora só arranjámos turma ao sábado às 12h, porque será?

2 comentários:

Sofia disse...

Está enorme!
Compreendo perfeitamente o que sentes proque também já trabalhei das 19h à 1h da manhã...Andava ao contrário dos outros. Mas tem as suas vantagens, não é?
Bjinhos

Rafael e Daniel Sousa disse...

Parabéns Tomás! Estás um crescido!
Mamã,tudo na vida tem um lado bom e um lado mau... tenta olhar mais para o lado bom se te for possível, para te ajudar a que as horas de ausência te passem mais depressa!

Acho que qualquer Mamã deveria poder ficar com os filhotes até aos 2 anos pelo menos e ter a hipótese de inseri-los gradualmente numa creche e só depois ir trabalhar!

Beijinhos
Bom fim de semana