quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Enfim...

Refeita do susto e na ressaca de uma noite de pesadelo ainda com o meu acidente, somente interrompida pela tosse do Tomás que apenas após 2 dias de infantário já voltou, eis que não podia deixar de frisar um episódio que se passou comigo este fim-de-semana. Ora, com o Tomás ainda em recuperação, lá fui sozinha às compras e o pai ficou com ele em casa. Muito raramente faço compras no Continente, pois é um hipermercado que não me inspira grande confiança, mas soube da campanha do desconto nos brinquedos e fui lá dar uma espreitadela. Quando lá cheguei a minha alma ficou parva: as pessoas corriam (literalmente) pelas escadas rolantes a fim de chegarem mais depressa à loja, não havia carrinhos de compras (eram 10h da manhã), dentro da loja era um caos. Posso dizer-vos que cheguei a ver pessoas a passar pelas prateleiras, abraçar os brinquedos e despejá-los indiferenciadamente nos carrinhos. Parecia o anúncio de que chegara o Apocalipse! Eram berros, não se passava em lado nenhum, via-se o brilho do consumismo no olhar das pessoas. Às duas por três começo a ficar com falta de ar e com umas dores de cabeça daquelas, não consegui ficar ali muito tempo. A menina da caixa até me disse que nos outros anos houve quem roubasse os brinquedos do carrinho de compras do vizinho e até houve lugar a estaladas! E pergunto-me: mas o que se passa? Ensandeceram? São só brinquedos! Que sociedade a nossa!
Com este consumismo, o espírito de Natal desvirtuou-se! Os miúdos só querem saber dos presentes, porque isso também lhes é incutido pelos pais. Imaginem, que a maior parte das pessoas estava a comprar os brinquedos com os filhos ao lado a dar palpites! Já não há magia! É uma tristeza. Foi uma vez para nunca mais.

9 comentários:

Sofia disse...

Oh God...
Coisa mais triste!
Bjinhos

Teresa disse...

É uma tristeza! Os meus sogros tb lá foram e vinham doentes com essas cenas!!!
São só brinquedos... é mesmo!
Enfim....
Cada um vive o Natal como entende, mas a magia nao se pode perder!!!
Bjsss a cheirar a castanhas!

Romantica disse...

Pois é, também lá passei este fim de semana e vim embora de mãos a abanar, a minha sanidade meltal vale mais que uns trocos no cartão...
E isso dos miudos darem palpites sobre as prendas... já estou como os velhos "no meu tempo não era nada disto, lembro-me de esperar ansiosa pela abertura das prendas para saber o que me tinha calhado..."
Beijitos

Anónimo disse...

Que horror! Eu fui lá no domingo ao fim da tarde e não vi nada disso, mas foi porque já não havia brinquedos nenhuns de jeito. :/ Queria comprar um lego novo ou uma caixa de ferramentas para dar ao manelito no natal, mas já não havia nada disto.
Também acho horrivel comprar-se as prendas com os cachopos ao lado. Da mesma maneira que também não acho bem dar-se uma tonelada de prendas a um filho. Nisto acho que vou fazer como os meus pais me faziam: eu dizia que gostava de 3 ou 4 coisas que via na TV ou na loja e eles depois davam-me só uma, que só era aberta na manhã de natal. Creio que foi assim que aprendi a valorizar as poucas coisas que tinha, eles podiam dar-me muitas mais, mas esta lição era o mais importante. Vê-se por aí cachopos que têm a colecção toda da chicco e brinquedos que nunca mais acabam, nem chegam a tirar partido ou a explorar devidamente os brinquedos. Enfim, é a febre do consumismo e de achar que assim se compram afectos... Bom, acho que já me estendi demais.
Beijoca e ainda bem que o acidente não passou de um susto e latas amoladas! Cheer up! ;)

Eli disse...

Bem antes de mais espero que já estejas mais calma de ontem, ainda bem que foi só chapa...
Quanto ao post, o que eu me ri com o teu relato... eu nem lá pus os pés só de pensar nessas confusões todas... só concluo que está tudo doido...~
Beijos gandis

Vasquinhos! disse...

É verdade, o Natal já não é vivido na sua verdadeira essência e as pessoas tmb já nada fazem para controlar as más atitudes, vale tudo, não olham a meios e muiyto menos sabem o que é respeitar o outro.
É o mundo em que estamos, só me assusto mesmo, qnd penso que as minhas filhas vivem nele.

Beijinhos para ti e para o teu pimpolho lindo!

kat disse...

Pois, eu também só resisti 10 minutos no Continente, só via crianças aos berros a agarrarem-se aos brinquedos!! Fiquei a pensar se nos vai acontecer isto!!

susana disse...

olá borboleta,
que história... pensei que isso já não existia :) desse mal não sofremos, por aqui não há continente, nem lojas do género.
abraço grande

LoveXL disse...

Passou-me completamente ao lado!!! Mas ainda bem q nao fui...